Searching...
quarta-feira, abril 02, 2014

Internautas da Paraíba e do Nordeste usam as redes sociais para protestar contra estupro


Comunidade criada em uma rede social já ultrapassa de 50 mil adesões; movimentação começou após pesquisa divulgada pelo Ipea

Depois da divulgação de uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mostrando que parte da população que reside no Brasil acha que mulheres que expõem o corpo merecem ser estupradas, brasileiros expressaram indignação com o resultado. Paraibanos e nordestinos postam mensagens de protesto aos resultados dessa pesquisa.

Famosos e anônimos foram às redes sociais para manifestar opiniões. A defesa ocorre de forma unânime através da tag #eunãomereçoserestuprada. 

A hashtag vem sempre acompanhada de uma foto, que, na maioria das vezes, deixa partes do corpo expostas, e ganhou força após uma jornalista de Brasília (DF) dar início a essa manifestação online através de uma mensagem no Facebook. Uma comunidade criada na rede já conta com mais de 50 mil adesões.

O administrador da página Nação Nordestina, Bráulio Bessa Uchoa, usou a fanpage para compartilhar uma imagem com a mensagem: "O cabra que estupra, merece ser capado", referindo-se à ideia de que o homem que comete esse crime deveria ter o órgão sexual retirado. Até o final da manhã desta quarta-feira (2), a publicação tinha quase 40 mil compartilhamentos e mais de 5 mil curtidas.

Foto: Nordestinos demonstram indignação com pesquisa
Créditos: Reprodução/Facebook
Fonte: UOL