Searching...
sexta-feira, maio 16, 2014

Piloto freia avião e evita colisão em Sergipe

Comandante explicou a situação aos passageiros e destacou que o impacto frontal entre as duas aeronaves ocorreria 20 segundos após a decolagem.

Um piloto da companhia Azul Linhas Aéreas Brasileiras teve de frear bruscamente o avião no momento da decolagem para evitar uma colisão com outra aeronave no Aeroporto de Aracaju, em Sergipe. O voo 4101, que seguia para Maceió, Alagoas, taxiava na pista a 150 quilômetros por hora quando o comandante freou preventivamente e impediu o acidente com outra aerovane. O voo estava previsto para partir às 12h35 de quarta-feira.
Segundo o relato do piloto aos passageiros, se a medida não tivesse sido adotada, as duas aeronaves teriam colidido 20 segundos após a decolagem. O passageiro Luciano Cabral, que estava do voo da Azul, filmou o momento em que o piloto descreve por que tomou a decisão de abortar a partida e postou em seu Facebook.
O piloto explica no vídeo que a aeronave à frente não era visível porque operava "por instrumentos". Apenas o Sistema Anticolisão de Tráfego (TCAS) identificou a possível batida. O equipamento, que se comunica com outras aeronaves, informa ao piloto os procedimentos que devem ser adotado para evitar uma colisão.
Como o avião da Azul estava no chão, a solução encontrada pelo comandante foi acionar o freio. "(A aeronave) estava em torno de 120 metros da gente, a 1 quilômetro de distância do nosso prolongamento. Deus me livre, a gente acertaria ele em 20 segundos depois de decolar", afirmou o piloto. "Então, tivemos que abortar a decolagem. Essa é uma decisão muito rápida", relatou o piloto aos passageiros. No momento em que o piloto adotou a medida, a aeronave taxiava a uma velocidade de 150 quilômetros por hora e a pista estava molhada. 
Conflito de tráfego - Em nota, a Azul afirmou que teve a decolagem abortada "após receber indicação de potencial conflito de tráfego" por causa "da presença de outra aeronave em sua trajetória". A aeronave foi inspecionada por técnicos e liberada para voo com atraso de uma hora. A companhia disse "lamentar eventuais transtornos" e ressaltou que a ação foi "de caráter preventivo".
Procurada para explicar o incidente, a Aeronáutica, responsável pelo controle de tráfego aéreo, disse que "está averiguando" o caso.
Com informações da Veja