Searching...
terça-feira, maio 09, 2017

Três invenções de estudantes cearenses disputam título da Copa do Mundo da Tecnologia

Três projetos de estudantes cearenses foram peneirados entre outros 199 inventos e estão entre os 15 finalistas da etapa nacional da 15ª Imagine Cup, competição organizada pela Microsoft que elege as melhores invenções de estudantes valendo-se da computação em nuvem. A final da Copa do Mundo da Tecnologia ocorre entre os dias 15 e 18 de maio em Fortaleza.

Os cearenses apostam no auxílio a pessoas com deficiência visual, monitoramento do consumo de energia elétrica e ensino online gratuito de programação competitiva. Eles vêm da Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade de Fortaleza (Unifor) e do Colégio Farias Brito, respectivamente.

A invenção dos estudantes da UFC consiste em um aparelho, acoplado a um óculos ou a um boné, capaz de enviar informações de um dado trajeto a uma pulseira vibratória. A cada vibração, o usuário percebe estar diante de um obstáculo.

O projeto é capitaneado pelo estudante Samuel Lima, do curso de Engenharia Elétrica, mas que começou a desenvolver o aparelho ainda no Ensino Médio — quando uma bengala ainda era a principal ferramenta. Na faculdade, aderiram ao invento Múrcio Filho, da Engenharia de Computação, e Felipe Feitosa Soares, recém graduado em Engenharia Elétrica. Com os vários testes, incluindo experimentações de voluntários e competições, o projeto chegou ao formato atual.

Atualmente, o aparelho ainda oferece serviço de GPS, que, via bluetooth, se conecta a um smartphone, permitindo traçar rotas para o usuário. Também conta com um “Botão do pânico”, que, acionado, indica a localização do usuário a números pré-estabelecidos.
Os testes, porém, continuam. Depois de provações no Instituto dos Cegos, portadores de deficiência visual da própria UFC utilizam o aparelho. Samuel conta buscar clínicas que atendem pessoas com visibilidade reduzida para parcerias que proporcionem novos testes.

Já o controle de energia elétrica proposto pelos estudantes da Unifor funciona por meio de um dispositivo conectado à entrada da rede elétrica. Todo o consumo passa, assim, a ser controlado pelo Monitor Autônomo de Consumo Inteligente, o M.O.A.CI.

Com isso, avisos são enviados ao usuário através de aplicativos de smartphones, por exemplo, caso uma determinada meta esteja sendo atingida. Saiba mais sobre o projeto em vídeo de divulgação feito pelos próprios integrantes da equipe.

Uma vitória na Imagine Cup concretiza o desejo descrito pelo coordenador do projeto, Danilo Reis, professor do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação (Nati). O objetivo da equipe equipe composta pelos estudantes Valdenir Sousa Severino, Jonathan Nascimento Madeira (ambos da Engenharia de Computação) e Tiago Carvalho Miranda (do curso de Audiovisual e Novas Mídias) é gerar uma startup e, consequentemente, ampliar o projeto, que seria capaz de mapear o consumo de energia pelos eletrodomésticos.

Uma informação vital para as fabricantes, como afirma Danilo Reis. Ele conta que, na fase de comercialização, o projeto seria open hardware, isso é, aberto para quem queira fazer alterações.

O CodCad, dos estudantes do Farias Brito, por sua vez, visa a “democratização do conhecimento da programação”, como descreve um dos integrantes da equipe, o estudante João Guilherme Madeira Araújo. O projeto surgiu ainda em 2016, quando João Guilherme estava no 2º Ano no Ensino Médio e seus colegas, Rogério Aristida Guimarães Júnior e Lucca Siaudzionis, no 3º Ano.

O site era uma expansão de um projeto voltado para olimpíadas escolares em geral. O formato de blog incomodava o trio, que passou então a ter dicas com o professor Thiago Nepomuceno, da Faculdade Farias Brito (FFB).

Com a experiência do professor, surgiu o novo formato, que continua com foco em Olimpíadas, mas as da área de programação. Partindo do básico em programação, o site apresenta vídeo-aulas divididas em etapas. No fim, um exercício para por em prática as lições. A cada etapa avançada, o usuário ganha pontos, os XPs. Clique aqui e confira a plataforma.

Uma vitória na Imagine Cup, conta João Guilherme, ajudaria nas propostas de expansão do site. Traduzir para outras línguas, contratar profissionais para as vídeo-aulas, proporcionar competições entre os usuário, dentre outros.


O vencedor da etapa nacional representa o País entre 60 concorrentes na fase mundial, que ocorre em Seattle, nos Estados Unidos. O grande vencedor leva 100 mil dólares em financiamentos para o projeto. Além disso, recebe convite para a Microsoft Build 2018, conferência de desenvolvedores, e, mentoria particular de Satya Nadella, CEO da Microsoft. Clique aqui e confira os demais competidores da etapa nacional. A informação é do portal Ceará News.