Searching...
sexta-feira, março 08, 2019

Ocara recebe a 121ª escola de educação profissional do Ceará

Estudantes de Ocara, município localizado a pouco mais de 100 km de Fortaleza, receberam nessa quinta-feira (7) um espaço novo, estruturado e com melhores condições de aprendizado. Na oportunidade, foi inaugurada a Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Maria Môsa da Silva, a 121ª dessa modalidade de ensino. Foram investidos na construção, compra de equipamentos e mobília da unidade cerca R$ 15 milhões oriundos dos Governos do Ceará e Federal. O governador Camilo Santana e a secretária da Educação, Eliana Estrela, participam da solenidade e receberam dos alunos e professores o carinho e o agradecimento pelos investimentos que o Estado vêm realizando na área para dar mais oportunidades aos jovens e melhores condições de trabalho aos profissionais.

“Essa escola não deixa a desejar a nenhuma escola particular do país. No passado achavam que escola pública tem que ser de baixa qualidade. Nós pensamos diferente. A escola pública tem que ser a melhor para atender as pessoas que precisam. Aqui tem auditório, biblioteca, ginásio coberto, laboratório, salas climatizadas, estrutura que poucas escolas particulares têm. Nós acreditamos que para o país mudar, crescer com justiça e oportunidade, é preciso investir em educação. Daqui sairão futuros médicos, advogados, engenheiros e quem sabe futuros governadores. É sonhar e acreditar. Cada um tem a sua responsabilidade. Esse é o momento da vida de vocês, jovens, de agarrar essa oportunidade. Vocês têm aqui o de melhor em estrutura física e de professores”, destacou o governador Camilo Santana, que após a solenidade de inauguração fez questão de visitar as dependências da escola.

Titular da pasta da Educação, Eliana Estrela reafirmou o compromisso do Governo de promover condições propícias para que o estudantes conquistem suas metas. “Nos sentimos muito felizes e honrados com essa recepção bonita e calorosa de quem realmente sonha e sabe o que quer. O que importa para gente é o aluno estar bem. Estamos recebendo aqui um grande presente para que vocês possam, juntos com os professores, construir um conhecimento cada vez mais forte e eficaz buscando o sonho de vocês. Queremos todos aqui ingressando na universidade, no mercado de trabalho e com uma vida digna”, reforçou a secretária.

A escola

O prédio construído pelo Governo do Ceará possui 12 salas de aula, auditório, biblioteca, bloco pedagógico administrativo, laboratórios específicos para os cursos técnicos oferecidos, além dos de Línguas, Informática, Ciências e Matemática. A obra foi supervisionada pelo Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE), órgão vinculado à Secretaria da Infraestrutura (Seinfra).

A nova estrutura tem capacidade para receber até 540 alunos, das 7h às 17h, em tempo integral. Os estudantes têm à disposição quatro cursos técnicos: Agronegócio; Administração; Secretariado e Informática. Neste modelo, os alunos fazem o Ensino Médio e se preparam para o mercado de trabalho. No terceiro ano, o Governo do Ceará propicia o estágio curricular obrigatório e remunerado para os alunos. Cerca de 4,5 mil empresas são parceiras nos programas de promoção de estágio profissional com previsão de atendimento de 15 mil estudantes.

O diretor da escola Auricélio Rodrigues Dias explicou como é trabalhada a formação do aluno durante o ano letivo. “Como é uma escola de tempo integral associada à educação profissional, nós temos quatro cursos que foram ofertados na matrícula de 2019. As aulas são nos dois turnos (manhã e tarde) e eles (os alunos) têm nove horas/aulas por dia. Nós temos as disciplinas da Base Nacional Comum, que são obrigatórias por ser Ensino Médio, temos as disciplinas da parte diversificada, que trabalham mais a questão socioemocional do aluno, e também as disciplinas da base técnica. O currículo é bem diversificado de modo que atenda tanto a formação geral do aluno, como a profissional”, detalhou.

Aluna do 1° ano do Ensino Médio, a adolescente Monique Elen Soares está matriculada no curso técnico de Administração ministrado na escola. Ela sonha em seguir na área no Ensino Superior por acreditar que seja uma profissão promissora e acredita que a sua unidade educacional fará a diferença no seu futuro pela qualidade encontrada. “Vai me ajudar bastante a crescer na vida e me inserir no mercado de trabalho. Aqui é um ambiente bem diferente da minha antiga escola, desde a estrutura, os professores, os alunos. Aqui temos uma série de laboratórios à disposição. É um espaço muito propício para o nosso engrandecimento”, classificou a estudante.

Ensino profissionalizante
O Governo do Ceará tem tratado a educação em tempo integral e profissionalizante como uma política pública importante para dar mais oportunidades aos adolescentes e jovens cearenses. As escolas profissionais já implantadas pelo Estado ofertam 52 cursos técnicos em 98 municípios cearenses, atendendo a 50 mil estudantes. As primeiras turmas foram formadas em 2010. De lá até o ano de 2017 foram formados 76.320 alunos. O percentual de alunos oriundos do ensino profissionalizante estadual que ingressaram no mercado trabalho e no ensino superior chega a 60,8%.

A rede estadual de ensino público conta, atualmente, com 726 escolas. Com essa nova unidade, o número que oferece educação profissional passa para 121. Outras 130 escolas funcionam em regime de tempo integral. Estão em construção no Ceará mais 71 escolas estaduais, das quais 22 são de educação profissional de Gastronomia no Panorama Artesanal.

A escola recebeu o nome da professora alfabetizadora Maria Môsa da Silva, que iniciou sua carreira docente lecionando em sua própria residência, situada na Vila São Marcos, local em que se tornou professora da rede municipal, passando a ensinar posteriormente em escola oficial. De acordo com relatos da comunidade e da família, ela também era envolvida em atividades religiosas e de cunho social, de modo que estava sempre a lutar pelas causas sociais.

A EEEP Maria Môsa da Silva faz parte da Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede) 08, sediada em Baturité. A rede estadual na região passa a contar com 25 unidades de ensino, sendo um Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja); cinco escolas profissionalizantes; duas escolas de Ensino Médio em tempo integral; uma escola indígena; uma escola do campo e 15 escolas regulares.

Acompanharam ainda a inauguração da nova escola estadual profissionalizante o assessor especial de Relações Institucionais da Casa Civil, Nelson Martins, o secretário das Cidades, Zezinho Albuquerque, a prefeita de Ocara, Amália Pereira, e os deputados estaduais Acrísio Sena, Bruno Pedrosa, Jeová Mota e Nezinho Farias, além do deputado federal José Guimarães.


Governo do Ceará