Searching...
quarta-feira, outubro 23, 2019

Alunas de Tecnologia dos Alimentos do Centec se destacam em concurso de queijos na FAICQ


Duas acadêmicas do curso superior de Tecnologia de Alimentos do Instituto Centec de Quixeramobim se destacaram entre os melhores produtores de queijo artesanal e industrial no concurso realizado no último fim de semana na 11ª Feira de Negócios do Sertão Central, a FAICQ. A disputa contou com 20 concorrentes do Ceará.

A aluna do 3º semestre, Leila Magna Freitas de Abreu, conquistou o terceiro lugar no concurso de Melhor Queijo Coalho do Ceará 2019 na categoria artesanal. Outra aluna do 3º semestre, Mariana Barros, conquistou o segundo lugar no concurso, na categoria industrial. Ela representou a Laticínios Campo Verde.

De acordo com o diretor do Instituto Centec, professor Jardel Paixão, Leila Magna tem uma queijaria artesanal na zona rural de Quixeramobim e trabalha com a família . Mariana Barros deixou de atuar como fisioterapeuta para assumir os negócios da família a Laticínios Campo Verde.

O concurso, realizado desde a primeira edição da FAICQ, é organizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae), em parceria com a prefeitura de Quixeramobim, Sindicato Rural (Sinrural), Senar, Laticínios Betânia, Leite Maranguape, Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará (FAEC) e Governo do Estado.

Tecnologia de Alimentos
O curso superior de Tecnologia em Alimentos da Fatec Sertão Central desenvolve uma metodologia baseada nos princípios da flexibilidade, interdisciplinaridade e contextualização apresentando estratégias diferenciadas para que os alunos se apropriem dos conhecimentos propostos. Suas unidades curriculares são trabalhadas por meio de aulas teóricas e práticas, transcorrendo estas, em laboratórios, visitas técnicas, dias de campo, seminários e outras. A relação entre as duas modalidades de aula, possibilita ao estudante visualizar as diversas possibilidades de atuação no mercado de trabalho.

O curso prevê ainda atividades de integração com o mercado de trabalho desde o primeiro semestre, tais como: encontros tecnológicos, visitas técnicas, participação em eventos do setor, tanto local, como regional os quais oferecem o compartilhamento de experiências com profissionais da área. As unidades curriculares dos semestres de ensino são trabalhadas de modo a desenvolver competências e habilidades através de estratégias pedagógicas desenvolvidas ao longo do curso.

A tecnologia de alimentos vem aumentando a sua importância na sociedade contemporânea, devido à necessidade de se estabelecerem critérios e normas para as produções quantitativa e qualitativa dos alimentos, visando atender ao contínuo crescimento populacional e tecnológico.

A relevância dessa área evidencia-se pela necessidade de se desenvolver produtos aplicando-se tecnologias modernas na formulação de alimentos, que possibilite praticidade ao consumidor; de se promover o total aproveitamento dos alimentos oriundo dos processos primários da produção agrícola, pecuária e de pesca; e de se ampliar sua vida útil.

As dificuldades relativas à produção de alimentos na região semiárida do Nordeste brasileiro, onde as condições são escassas e peculiares, exigem a absorção de novas tecnologias. A maneira inadequada de obtenção dos alimentos, especialmente no que se refere ao beneficiamento, embalagem processamento e armazenamento, resulta quase sempre em grandes desperdícios.

O setor agroindustrial representa a base da economia cearense, porém, o baixo nível da educação profissional resulta em mão-de-obra desqualificada, fator este que, aliado ao sistema econômico competitivo globalizado e tecnologicamente explorado, gera uma economia insustentável, principalmente para os médios e pequenos empresários.

Dentro dessa visão de qualificação profissional o Instituto Centro de Ensino Tecnológico Centec propõe a criação e implantação do curso Scperior de Tecnologia em Alimentos na região do Sertão Central, no município de Quixeramobim, qualificando profissionais de nível superior para desenvolver tecnologias na agroindústria, apoiando e atendendo órgãos governamentais, indústrias, projetos agroindustriais e em outras atividades afins para manter uma economia sustentável“, explica o diretor do Centec.