Searching...
domingo, maio 16, 2021

Urgente: Mayra diz que não recorreu ao STF para ficar em silêncio




Em contato com o smp.news a secretária da Gestão do Trabalho e da Educação da Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde, Médica Mayra Pinheiro, assevera que seus advogados não pleitearam o direito de ficar em silêncio perante a CPI do covid.

Veja o texto enviado por Mayra:

O texto não é verdadeiro quanto a proposição.

Esclarecer a verdade para 210 milhões de brasileiros é o que mais quero, e segue:

“habeas corpus preventivo, determinando ao Presidente e ao Relator da referida CPI para que sejam reconhecidas, em favor da ora paciente, as seguintes prerrogativas: 1) ser assistida por advogados e com estes, comunicar-se; 2) ser assegurado aos seus advogados o direito de realizar sua defesa, nos termos do art. 7º, III, X, XI, XII e XIII, do Estatuto da Advocacia e OAB, sendo-lhes garantida a palavra pelo Presidente da CPI para, inclusive, suscitar questão de ordem, objetivando preservar a efetiva vigência do Regimento do Senado e das leis nele reportadas que devem ser integralmente respeitadas pela CPI, inclusive, para evitar futuras arguições de nulidade”.

Mayra finaliza dizendo que pediu “apenas para ser assistida por advogados e o direito dos mesmos de fazerem minha defesa”.

CÁ PRA NÓS: O texto transcrito de O Globo reproduzido no smp.news dizia que Mayra havia seguido a mesma receita de Pazuello para enfrentar a “inquisição”.